Arquivo do Autor

Homem desconfia de paternidade de criança e tenta jogar bebê de 2 meses pela janela em Petrolina

Um homem desconfiou que uma bebê de dois meses de vida não era sua filha e ficou furioso com a mãe da criança. Ele chegou a expulsar a companheira de casa jogando suas roupas na rua.

O suspeito chegou a pegar a menina no coloco ameaçando jogá-la da sacada pela janela do seu apartamento. O fato ocorreu na Rua 19 do bairro Jardim Guararapes, em Petrolina.

A mãe conseguiu tirar a criança do colo e teve uma surpresa. O seu marido foi quem prestou queixa contra a mesma na delegacia. O mesmo foi preso por tentativa de homicídio.

Fonte: Edenevaldo Alves

9 de outubro de 2019 at 08:00 Deixe um comentário

Edital do concurso da PMBA será publicado dia 16/10

Agora é oficial. O governador da Bahia, Rui Costa, anunciou na noite desta terça-feira (8) que o edital do concurso público da Polícia Militar do Estado (PMBA) será publicado no dia 16 de outubro. A notícia foi dada durante seu programa semanal transmitido através das redes sociais.

O certame selecionará 2,5 mil candidatos a soldados da corporação e do Corpo de Bombeiros. O Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação (IBFC) foi escolhido para organizar o concurso.

O governo convocará mil policiais e 250 bombeiros para ingresso em 2020, e outros mil policiais e 250 bombeiros para ingresso em 2021. A contratação do IFBC – mesma banca do último concurso da PMBA realizado em 2017 – saiu no Diário Oficial do Estado (DOE) do último dia 18 de setembro.

Fonte: Carlos Brito

9 de outubro de 2019 at 07:20 Deixe um comentário

Confiram as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira na Agência do Trabalho (Petrolina)

EMPREGO

A Agência do Trabalho divulgou sua lista com as vagas de emprego disponíveis nesta quarta-feira (9) em Petrolina. Há oportunidades para costureira de máquinas industriais (1), desenhista industrial gráfico/designer gráfico (1), estoquista (2), gerente de produção (1), mecânico de manutenção de ônibus (1), operador de caixa (4), técnico em manutenção de equipamentos de informática (1), vendedor de consórcio (5), vendedor interno (5), vendedor pracista (1) e visual merchandiser (2).

No momento não há vagas para pessoas com deficiência.

O atendimento ao público é feito das 7h às 13h. A Agência do Trabalho fica localizada no Centro de Convenções Senador Nilo Coelho, área central da cidade. Vale lembrar que a lista está sujeita a alterações no decorrer do dia. Outras informações podem ser obtidas através do número (87) 3866-6540.

9 de outubro de 2019 at 06:45 Deixe um comentário

Pela primeira vez, WhatsApp admite envio maciço ilegal de mensagens nas eleições de 2018

[Pela primeira vez, WhatsApp admite envio maciço ilegal de mensagens nas eleições de 2018]

Pela primeira vez, o WhatsApp admitiu que a eleição brasileira de 2018 teve uso de envios maciços de mensagens, com sistemas automatizados contratados de empresas. “Na eleição brasileira do ano passado houve a atuação de empresas fornecedoras de envios maciços de mensagens, que violaram nossos termos de uso para atingir um grande número de pessoas”, afirmou Ben Supple, gerente de políticas públicas e eleições globais do WhatsApp, em palestra no Festival Gabo.

Em uma série de reportagens desde outubro do ano passado, a Folha revelou a contratação durante a campanha eleitoral de empresas de marketing que faziam envios maciços de mensagens políticas, usando de forma fraudulenta CPFs de idosos e até contratando agências estrangeiras. Uma das reportagens noticiou que empresários apoiadores do então candidato Jair Bolsonaro (PSL) bancaram o disparo de mensagens em massa contra o petista Fernando Haddad, que foi derrotado e também acabou multado pelo TSE pelo impulsionamento irregular de conteúdo desfavorável ao seu então adversário.

O TSE veda o uso de ferramentas de automatização, como os softwares de disparo em massa. Além disso, conforme mostrou a Folha, empresários contrataram disparos a favor e contra candidatos, sem declarar esses gastos à Justiça Eleitoral, o que configura o crime de caixa dois. No mesmo evento, o executivo do WhatsApp condenou os grupos públicos da plataforma acessados por meio de links que distribuem conteúdo político, na maior parte das vezes relacionados ao governo Bolsonaro.

O executivo do WhatsApp afirmou que a plataforma desencoraja “o uso dos grupos como listas de transmissão” de conteúdos, como ocorre com muitos grupos de apoiadores de políticos. “O WhatsApp foi criado para abrigar conversas orgânicas, entre famílias e amigos”. Indagado se o uso do WhatsApp por campanhas políticas violava as regras, ele afirmou: “Não viola desde que se respeitem todos os termos de uso [que vedam automação e envio massivo]. Todos estão sujeitos aos mesmos critérios, não importa se quem usa é um candidato à Presidência ou um camponês do interior da Índia.”

Supple reconheceu a influência do aplicativo em processos eleitorais. ”Sabemos que eleições podem ser vencidas ou perdidas no WhatsApp”, disse. E afirmou que o WhatsApp despachou equipes para acompanhar as eleições de Índia, Indonésia e Parlamento Europeu no primeiro semestre. Segundo o executivo, a plataforma já esperava que as eleições brasileiras de 2018 fossem palco de campanhas de desinformação. “Sempre soubemos que a eleição brasileira seria um desafio. Era uma eleição muito polarizada e as condições eram ideais para a disseminação de desinformação”, disse.

8 de outubro de 2019 at 16:40 Deixe um comentário

Irmã de Moa do Katendê passa mal e morre a caminho de missa em homenagem ao capoeirista

[Irmã de Moa do Katendê passa mal e morre a caminho de missa em homenagem ao capoeirista ]

A irmã do Moa do Katendê, assassinado em 2018 após discussão por motivos políticos, morreu na segunda-feira (7), em Salvador, após passar mal dentro de um ônibus, a caminho da missa de um ano da morte do capoeirista.

Veraldina Vanderlei da Costa, 70 anos, sofreu um infarto e chegou a ser socorrida pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), mas não resistiu. O corpo foi enterrado na manhã desta terça-feira (8), no Cemitério Ordem 3ª de São Francisco, na Baixa de Quintas, na capital baiana.

Mestre Moa do Katendê foi morto na madrugada de 8 de outubro do ano passado, horas após a votação do primeiro turno das eleições. Ele tinha 63 anos e foi atacado a facadas, junto com um primo, identificado como Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, após uma briga por divergências políticas com o barbeiro Paulo Sérgio Ferreira de Santana, que confessou o crime.

Paulo é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Já por ferir o primo da vítima o barbeiro responde por tentativa de homicídio duplamente qualificado.

O suspeito está Complexo Penitenciário da Mata Escura, na capital baiana, enquanto aguarda julgamento. Paulo passaria por júri popular em 11 de setembro deste ano, mas a audiência foi adiada para 21 de novembro.

8 de outubro de 2019 at 16:10 Deixe um comentário

SECRETARIA DE SAÚDE ENVIA EQUIPE PARA AVALIAR POSSÍVEL SURTO DE DENGUE NO SALITRE

José de Oliveira que reside em Juazeiro e tem familiares domiciliados na região do Salitre manteve contato com o Programa Geraldo José (Transrio FM) na tarde desta segunda-feira (07) para reiterar pedido à Secretaria Municipal de Saúde no sentido de enviar equipe para averiguar surto de dengue na comunidade rural.

Em contato com a Secretária Fabíola Ribeiro esta confirmou que uma equipe da Vigilância em Saúde estará nesta terça-feira (08) na comunidade de Manga, no Salitre, para observar de perto os casos e comprovar se existe de fato um surto de dengue na comunidade interiorana.

8 de outubro de 2019 at 15:35 Deixe um comentário

SE PRIVATIZAR A CHESF O LUZ PARA TODOS VAI ACABAR E O AUMENTO DA ENERGIA VAI LEVAR OS MAIS POBRES A USAR CANDEEIRO, DIZ PREFEITO

Do prefeito de Carnaíba, Anchieta Patriota (PSB), ao se posicionar contra a privatização da Chesf: “O Luz para Todos vai se acabar nos rincões do Nordeste e o aumento da energia vai levar os mais pobres a voltar a usar candeeiro, o que deixou de existir em nossa região”.

A revista Exame informou que uma eventual adoção de um modelo alternativo aos planos do governo para desestatizar a Eletrobras poderia prejudicar o processo porque teria resistência política. A informação foi dada por uma fonte familiarizada com a estratégia da estatal à Reuters. O Ministério de Minas e Energia tem afirmado que pretende levar adiante uma capitalização da companhia por meio da emissão de novas ações, o que reduziria a fatia do governo na empresa a uma fatia minoritária.

Mas o Ministério da Economia do presidente Jair Bolsonaro, comandado por Paulo Guedes, um liberal entusiasta de privatizações, tem avaliado modelos alternativos, que eventualmente poderiam passar pela capitalização ou venda em separado de subsidiárias da estatal.

Em meio a essas interações, a cúpula da Eletrobras tem defendido o prosseguimento do projeto de capitalização, nascido ainda na gestão do ex-presidente Michel Temer, com uma visão de que privatizar subsidiárias emblemáticas como Furnas e Chesf poderia ser uma tarefa “praticamente impossível” do ponto de vista político.

“Por subsidiárias é mais difícil, com certeza”, afirmou a fonte, que acompanha as conversas sobre a privatização e falou sob a condição de anonimato devido à sensibilidade do tema.

A Chesf, que atua principalmente no Nordeste, foi criada por decreto em 1945, no governo Getúlio Vargas, quase dez anos antes do surgimento da proposta que levaria ao nascimento da própria Eletrobras, criada formalmente apenas em 1961.

Furnas nasceu em 1957 e tem ativos concentrados no Sudeste e centro-sul. Furnas é justamente a empresa onde travaram os planos do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (FHC) para a privatização em partes da Eletrobras nos anos 90, lembrou a fonte.

Na época, FHC conduzia um grande programa de desestatização no setor elétrico, mas a resistência política e corporativa travou o avanço do movimento dentro da Eletrobras — foram desestatizados apenas ativos de geração da Eletrosul, a chamada “Gerasul”, no final de 1998.

Já a oposição a uma privatização da Chesf poderia facilmente mobilizar a bancada do Nordeste no Congresso, apontou a fonte, lembrando que os nove Estados da região somam 27 votos no Senado, ou um terço do total.

As dúvidas sobre a viabilidade política da venda em separado de subsidiárias da Eletrobras ganham ainda mais importância porque Furnas e Chesf são as empresas mais lucrativas da estatal e as que administram seus mais valiosos ativos, com um enorme parque de hidrelétricas.

A Chesf é a maior geradora do Brasil, com mais de 10 gigawatts em capacidade instalada própria, além de fatias em empreendimentos com sócios, enquanto Furnas é a segunda na lista, com 9,44 gigawatts próprios, sem contar participações. Ambas ainda operam enormes sistemas de transmissão.

8 de outubro de 2019 at 14:00 Deixe um comentário

Posts antigos


Instagram

Houve um erro ao recuperar imagens do Instagram. Uma tentativa será refeita em poucos minutos.