Pais da menina Beatriz terão encontro com Paulo Câmara na próxima segunda-feira

23 de agosto de 2019 at 16:35 Deixe um comentário

Os pais da menina Beatriz Angélica Mota – Lucinha Mota e Sandro Romilton – vão se reunir na próxima segunda-feira (26), às 16h, com o governador Paulo Câmara no Recife. Os dois, que participaram em Petrolina do 4º Seminário ‘Todos por Pernambuco’, na última quarta (21), com a presença de Paulo, foram informados do encontro pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados e pela deputada estadual Dulcicleide Amorim (PT).

Em entrevista à imprensa, Lucinha informou que a reunião foi provocada pelo próprio governador. Porém, ela se mostra mais otimista quanto a uma audiência pública que será promovida na capital federal pela Comissão de Direitos Humanos da Câmara, em outubro próximo.

Já fiz (à comissão) diversas denúncias, inclusive à Polícia Civil de Pernambuco. Acredito que, devido a essas denúncias, o governador queira conversar comigo. É uma pena, porque muito antes de fazer as denúncias, que são muito graves, eu o procurei no seu gabinete e através de ligações. Mas infelizmente existe uma blindagem muito grande no governador”, disse Lucinha.

A mãe de Beatriz deixou claro que, caso o bárbaro assassinato de sua filha, que caminha para o quarto ano, continue sem respostas, ela deverá apelar até para cortes internacionais. Ela se mostra insatisfeita com a PC pelo fato de não ter prendido ainda Allinson Henrique Cunha, ex-funcionário terceirizado do Colégio Maria Auxiliadora, em Petrolina, onde a menina foi brutalmente morta a facadas há cerca de 4 anos.

Governador      

Questionado sobre o caso, Paulo Câmara disse que a demora na elucidação do crime “preocupa a todos”. Ele afirmou que, na reunião com os pais de Beatriz, irá deliberar sobre as próximas providências a serem tomadas pelo Estado. “A gente não vai descansar enquanto essa questão não for resolvida”, declarou.

O crime

Beatriz Angélica, de apenas 7 anos, foi assassinada na noite de 10 de dezembro de 2015 durante uma festa de formatura no Colégio Maria Auxiliadora, onde estudava. A menina foi golpeada com mais de 40 facadas. O crime chocou a região e o país. Allinson Henrique, então funcionário terceirizado do colégio, foi acusado de ter apagado imagens das câmeras de monitoramento da instituição de ensino, que poderiam colaborar para a elucidação do crime. Ele se encontra foragido. Alguns suspeitos chegaram a ser divulgados, mas não foram confirmados como assassinos da menina. O crime segue em sigilo.

Fonte: Carlos Brito

Entry filed under: Geral.

PAULO BOMFIM INAUGURA ESCOLA QUE VAI BENEFICIAR MAIS DE 400 ESTUDANTES DO RESIDENCIAL DR. HUMBERTO EM JUAZEIRO MANIFESTANTES FAZEM PROTESTOS PELA AMAZÔNIA EM EMBAIXADAS BRASILEIRAS PELO MUNDO

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed