Anúncios

Morre Kofi Annan, ex-secretário-geral da ONU e Nobel da Paz

18 18UTC agosto 18UTC 2018 at 10:59 Leave a comment

A morte ocorreu na madrugada deste sábado em um hospital em Berna, na Suíça, segundo informou a fundação Kofi Annan em suas redes sociais

Kofi Annan, em foto de 2018

Rio – Morreu, aos 80 anos, o ganense Kofi Annan, ex-secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU) e Prêmio Nobel da Paz. A morte ocorreu na madrugada deste sábado em um hospital em Berna, na Suíça, segundo informou a fundação Kofi Annan em suas redes sociais. Ele teria sido internado às pressas, mas não resistiu.

“É com imensa tristeza que a família Annan e a Fundação Kofi Annan anunciam que Kofi Annan, antigo secretário-geral das Nações Unidas e Prêmio Nobel da paz, faleceu pacificamente no sábado, (18 de agosto, após uma pequena doença”, diz o comunicado da fundação nas redes sociais. A causa da morte ainda não foi divulgada e não há informações sobre o seu funeral.

António Guterres, atual secretário-geral da ONU, emitiu um comunicado expressando sua “profunda tristeza”. “De muitas formas, Annan era a ONU. Ele subiu dentro da organização para liderá-la ao novo milênio, com dignidade e determinação”, escreveu. O português disse que Annan foi seu mentor e indicou que, “em tempos turbulentos”, ele nunca deixou de agir.

Primeiro negro com cargo de chefe da ONU 

Nascido em 1938 em Gana, Kofi Annan foi o primeiro negro a assumir o cargo de chefe da Organização das Nações Unidas, a ONU, onde ficou por dois mandatos, entre 1997 e 2006. Economista de formação, ele estudou nos Estados Unidos e na Suíça.

A importância de Annan à frente da ONU também ganha destaque a partir do momento que ele coloca em pauta na organização temas a pobreza, refugiados, o subdesenvolvimento e a Aids.

Ele também serviu como enviado especial da ONU na Síria, onde liderou esforços para encontrar uma solução pacífica para o conflito. Annan mantinha uma estreita amizade com Sergio Vieira de Mello, o brasileiro que liderou a ONU por algumas das maiores crises humanitárias e que morreu há 15 anos em Bagdá.

Inclusive, Annan teve seu mandato marcado pela decisão de denunciar como “ilegal” a guerra de George W. Bush no Iraque. Depois disso, ele passou a ser alvo de ataques por parte da diplomacia americana. Meses depois de sua declaração, Annan viu seu filho acusado de envolvimento em escândalos de corrupção. O africano ficou abalado com a ofensiva contra ele e sua família e, por meses, chegou a perder sua voz.

Anúncios

Entry filed under: Geral.

Lagoa Grande PE – Homem preso tráfico de drogas no Povoado de Izacolandia Candidato a Deputado Federal, Isaac Carvalho, visita região do Baixo Sul e firma parcerias

Deixe uma resposta

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed