Estupros aumentam 8,4% em um ano; casos chegam a mais de 60 mil no país

11 de agosto de 2018 at 13:20 Deixe um comentário

Resultado de imagem para ESTRUPOS

A situação da violência no Brasil se agrava a cada ano e atingiu um novo recorde: em 2017, foram registrados 63,8 mil homicídios no país. Um aumento de 2,9% em relação ao ano anterior. Isso representa 175 casos por dia. Para as mulheres, o número é ainda pior. Foram 60 mil ocorrências de estupro — aumento de 8,4%. E 221,2 mil de violência doméstica, o que representa 606 casos por dia.

Os dados foram divulgados pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública ontem. As maiores taxas de violência foram registradas no Rio Grande do Norte — 68 para cada 100 mil habitantes —; no Acre, 63,8; e no Ceará, 59,1. As menores foram registradas nos estados de São Paulo (10,7), Santa Catarina (16,5), e Distrito Federal (18,2).

De acordo com o sociólogo da Universidade de Brasília (UnB), especialista em violência social e segurança pública, Antônio Flávio Testa, analisar o índice expressivo de violência no país não é tão simples. “Temos diversas causas para homicídios hoje em dia, desde narcotráfico, acerto de contas, até crimes passionais”, comentou. Mas o Brasil vive um surto na segurança pública, principalmente em regiões do Nordeste, onde o Estado não se faz presente. “No Ceará, por exemplo, o crime organizado tomou conta e a população vive refém das facções”, analisou.

Sobre os casos de violência contra a mulher, Testa afirma que os dados sempre foram alarmantes. Além do estupro e violência doméstica, o estudo registrou 1,1 mil feminicídios. “O Brasil mata 5 mil mulheres por ano.

De 1980 a 2014, foram assassinadas 90 mil mulheres. Temos um problema estrutural quando falamos de crimes contra o sexo feminino”, avaliou.

Ao todo, 367 policiais militares foram mortos em serviço, o que representa um assassinato por dia — redução de 4,9% em relação a 2016.

No entanto, 5,1 mil pessoas foram mortas em intervenções militares ao longo do ano, aumento de 20%, nesse caso, foram registradas 14 mortes por dia.

Armas e gastos

De acordo com o estudo, 119,4 mil armas de fogo foram apreendidas em 2017. Sendo que 94,9% delas não estavam cadastradas no sistema da Polícia Federal (Sinarm), e 13,7 mil eram legais, mas foram perdidas, extraviadas ou roubadas.

Sobre os gastos, o estudo informou que o país investiu R$ 84,7 milhões em segurança pública, ou seja, R$ 408,13 por cidadão. Do total, a União investiu R$ 9,7 bilhões (alta de 6,9%), os municípios gastaram R$ 5,1 bilhões (redução de 2%), e os estados e o Distrito Federal, R$ 69,8 bilhões (variação de 0,2%).

Para o consultor de segurança José Vicente da Silva, o principal problema da violência no Brasil não é o investimento, mas a falta de uma coordenação política abrangente, que sustente um programa amplo de contenção. Ele ressalta que o aparato de resposta ao crime no país tem problemas desde o instrumento legal até o judiciário e o policiamento nas ruas.

Silva afirma, entretanto, que essa deficiência é agravada pelas dificuldades sociais do país, que sofre com problemas na educação, saúde e saneamento básico. “Quando você tem dificuldades tão grandes quanto as nossas, a resposta à violência precisa ser melhor, com um judiciário mais ágil e leis penais melhores”, informou.

A corrupção não fica fora da lista de fatores que contribuem para o índice recorde de violência. O consultor de segurança explica que países com alto nível de corrupção tendem a ter grandes índices de violência. “A fragilidade da impunidade não vale apenas para o estuprador, mas também para os corruptos. A corrupção está na lista de características de países com muita violência”, disse.

63,8 mil mortes violentas intencionais em 2017.

2,9% Crescimento dos homicídios, em relação a 2016.

60 mil estupros registrados.

606 casos de violência doméstica acontecem por dia.

Anúncios

Entry filed under: Geral.

ISAAC OUVE DEMANDAS MONTE SANTO E CONTA COM APOIO DE LIDERANÇAS LOCAIS PARA FORMAR PLATAFORMA DE GOVERNO Lagoa Grande PE – Residência do cantor de seresta Enzzo Carvalho por pouco não foi incendiada no centro da cidade

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed


Visite o Instagram do Vale Comentar

🎶"Amigo de tantos caminhos e tantas jornadas/ Cabeça de homem, mas o coração de menino/ Aquele que está do meu lado em qualquer caminhada/Me lembro de todas as lutas, meu bom companheiro/ Você tantas vezes provou que é um grande guerreiro".🎶 . Esse trecho da música de Roberto Carlos, o cantor @robertocarlosoficial, poderia ter sido entoado pelo Roberto Carlos, o político @deputadorobertocarlos, no reencontro público entre ele e Joseph Bandeira @josephbandeiraoficial, no último sábado, na Festa dos Colonos do projeto Maniçoba, após o rompimento nas eleições de 2016 e 2018. . Resguardando todos o méritos de Roberto, não podemos deixar de registrar a aliança histórica entre os dois, criada desde a época de vereança do hoje deputado e das dobradinhas nas eleições estaduais. . Mas, pelo visto, os caminhos políticos distintos não abalaram a relação de amizade entre os dois.
📹📹 Uma foto oficial divulgada nas redes sociais mostra o casal Mari Palma, 30, e Philipe Siani, 34, na CNN Brasil. Conhecidos por terem um texto de televisão inovador e criativo, os dois não jornalistas serão apresentadores de um programa no canal. A estreia no país está prevista pra ser entre o final de outubro e começo de novembro. Segundo nota oficial divulgada pela CNN Brasil, a. ideia é que os dois comandem juntos programas diários no canal e nas demais plataformas da emissora. 📹📹
URGENTE: Moradores da Rua Veneza no bairro Alagadiço, em Juazeiro, fizeram protesto na manhã desta segunda-feira (22). O motivo: A não inclusão da citada rua no projeto de pavimentação divulgado pela @prefeitura.juazeiro.ba . . Recentemente o executivo municipal divulgou a pavimentação de 22 ruas, muitas delas no Alagadiço. . As ruas vizinhas foram asfaltadas, mas Rua Veneza não. O manifestantes queimaram pneus, sacolas e galhos de árvores. Confira nas imagens.