Anúncios

10 ANOS APÓS MORTE, MÃE DE ISABELLA NARDONI FALA SOBRE A FILHA

19 19UTC Março 19UTC 2018 at 15:41 Leave a comment

No próximo dia 29, fará 10 anos que a menina morreu. Seu pai, Alexandre Nardoni, e madrasta, Anna Carolina Jatobá, foram acusados pelo crime

Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá cumprem pena de mais de 30 anos e mais de 26 anos de prisão, respectivamente. (TV Globo/Reprodução)

São Paulo – Ana Carolina Oliveira, mãe de Isabella Nardoni, falou sobre como está sua vida atualmente, dez anos depois do assassinato de sua filha, e sobre como foi reconstruí-la. “Hoje a gente procura pensar de uma forma mais suave, mas eu acho que o único sentimento que existe é a saudade. Que é o maior deles, e esse nunca passa”, disse ao G1.

No próximo dia 29 de março, fará dez anos que Isabella, com 5 anos na época, morreu. Seu pai, Alexandre Nardoni, e madrasta, Anna Carolina Jatobá, foram acusados de terem agredido a menina e jogado seu corpo do sexto andar de seu apartamento, na Zona Norte de São Paulo. Hoje, cumprem pena de mais de 30 anos e mais de 26 anos, respectivamente.

Dois anos depois do crime, em 2010, Ana Carolina fez um intercâmbio de seis meses nos Estados Unidos, como parte de um processo de auto-conhecimento. “Acho que era um pouco para me redescobrir na época (…) Foram dois anos intensos de muita turbulência na vida. Mudanças e era como se eu não me reconhecesse mais”, contou.

Quando voltou para o Brasil, Ana Carolina se casou e teve mais um filho, o Miguel. “Hoje tenho dois filhos”, disse ela se referindo também à Isabella. Sua família, amigos, e a terapia foram as coisas que mais a ajudaram até hoje no luto. “Minha vida já tá bem mais reconstruída, mais sólida (…) Hoje eu tô muito bem”.

Sobre a saída da madrasta de Isabella da prisão em regime semi-aberto, Ana Carolina diz que acha ser um absurdo: “Como é que pessoas que cometem crimes tão bárbaros, cruéis tem a opção de estar livre? Tem a opção de liberdade?… Sair justamente em datas tão fortes: dia das mães, dia das crianças?”.

No início de março, a defesa do casal condenado pela morte de Isabella pediu que as penas dos dois fossem reduzidas. A defesa argumenta que as penas aplicadas ao casal foram exacerbadas pela repercussão dada ao caso pela mídia e pela grande comoção social gerada pelas circunstâncias da morte da menina. Pedido tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e ainda não tem prazo para ser julgado.

Anúncios

Entry filed under: Geral.

Paulo Bomfim reúne vereadores e apresenta ações da saúde no primeiro ano de gestão PREFEITURA ABRE INSCRIÇÕES PARA CURSO GRATUITO DE INFORMÁTICA EM PETROLINA

Deixe uma resposta

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed