Anúncios

Fósseis da “Era dos Dinossauros” são encontrados no nordeste baiano em atividade de campo da Univasf

16 de março de 2018 at 18:00 Leave a comment

Entre as descobertas estão fósseis de peixes, insetos e crustáceos.

Pesquisadores da Universidade Federal do Vale do São Francisco (Univasf) e de outras instituições de ensino encontraram, no meio do sertão baiano, diversos fósseis de animais e plantas, incluindo formas aquáticas, que remeteriam ao ambiente marinho. A descoberta é fruto de uma atividade de campo realizada pelo projeto de pesquisa “Fósseis do nordeste baiano: aspectos sistemáticos e paleoecológicos de uma fauna pretérita”, coordenada pelo professor Estevan Eltink, do Colegiado de Ecologia do Campus Senhor do Bonfim. Entre as descobertas estão fósseis de peixes, insetos, crustáceos, restos de crocodilos e até dentes de tubarão que datam dos Períodos Jurássico e Cretáceo.

O trabalho de campo foi realizado no período de 21 a 27 de fevereiro deste ano, na Bacia Sedimentar Tucano, que fica localizada nos municípios de Euclides da Cunha, Tucano e Araci, região norte da Bahia. A pesquisa teve como objetivo a prospecção da área e a coleta de material fóssil de vertebrados da Era Mesozóica, conhecida como a “Era dos Dinossauros”.

A atividade de campo envolveu equipes de diferentes campi da Univasf e de universidades paulistas, relacionadas aos projetos de pesquisa “Paleontologia e Evolução de Vertebrados Mesozóicos”, coordenado pelo professor Marco Aurélio Gallo de França, do Colegiado de Ciências Biológicas da Univasf, e “A origem e irradiação dos dinossauros no Gondwana (Neotriássico – Eojurássico)”, coordenado pelo professor Max Cardoso Langer, da Universidade de São Paulo (USP). De acordo com Estevan Eltink, os três projetos têm o objetivo comum de coletar materiais fósseis de vertebrados do Mesozóico.

Também participaram da iniciativa os estudantes da Univasf Diego Leal Abreu e Iasmim Soares dos Santos, discentes voluntários de iniciação científica (Pivic) do professor Eltink; os doutorandos Thiago Schneider Facchini e Silvio Onary, do Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada da USP; e o professor Felipe C. Montefeltro, da Universidade Estadual Paulista (Unesp).

Os fósseis encontrados serão estudados como parte do projeto de pesquisa e farão parte da coleção didático-científica do Campus Senhor do Bonfim da Univasf. Segundo Eltink, na próxima etapa da pesquisa será feita a identificação e descrição dos materiais coletados, o que permitirá descobrir quais são as espécies e de que época elas provêm, mais precisamente.

“Queremos, com essas descobertas, entender a biodiversidade que existiu na região, compreender como a bacia sedimentar foi formada e qual a relação dela com o ambiente marinho. A partir desse material, serão produzidos resumos e artigos científicos, para que possamos apresentar nossos resultados à comunidade científica, assim como à população, para que as pessoas conheçam a história da região em que vivem”, afirma o professor.

CIMF6

Anúncios

Entry filed under: Geral.

Criança de 1 ano morre afogada após cair em tanque de criação de peixes na Bahia TENTATIVA DE HOMICÍDIO NO BAIRRO ARGEMIRO

Deixe uma resposta

Trackback this post  |  Subscribe to the comments via RSS Feed